Repositório Institucional POSITIVO Universidade Positivo Dissertação Programa de Pós-Graduação em Odontologia Clínica
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.cruzeirodosul.edu.br/jspui/handle/123456789/2107
Tipo: Dissertação
Título: Avaliação in vitro do potencial antibacteriano do extrato da Aristolochia esperanzae Kuntze (Aristolochiaceae) sobre microrganismos bucais
Autor(es): Botelho Filho, Carlos Roberto
Primeiro Orientador: Gabardo, Marilisa Carneiro Leão
Primeiro coorientador: Maranho, Leila Teresinha
Resumo: A Aristolochia esperanzae Kuntze (Aristolochiaceae) é uma planta da flora brasileira pouco estudada na área odontológica, porém utilizada em terapias integrativas Indianas para tratamento de artrite reumatoide, sintomas menstruais e até mesmo emagrecimento. O objetivo deste estudo, in vitro, foi avaliar a atividade antibacteriana desta planta sobre microrganismos bucais específicos e sua concentração inibitória mínima. Os microrganismos selecionados para os testes foram Streptococcus mutans, Porphyromonas gingivalis e Enterococcus faecalis que são as principais bactérias ligadas as patologias bucais cárie, doença periodontal e infecção endodôntica respectivamente. A coleta do material vegetal foi realizada em propriedade privada na região de Curitiba, PR, Brasil a colheita foi executada em três indivíduos de forma aleatória tanto de folhas quanto de caule. Após a coleta o material foi selecionado e separado para maceração mecânica. O óleo essencial (OE) e o hidrolato, extratos aquosos da A. esperanzae, foram obtidos por meio de ciclos no aparelho de hidrodestilação Clevenger, sendo posteriormente congelados até o momento dos testes. O OE foi diluído com dimetilsulfóxido (DMSO). Os testes realizados foram: difusão em ágar com bactérias isoladas e concentração inibitória mínima (CIM). Sendo que a difusão em ágar foi realizada pela técnica disco-difusão segundo a CLSI. Todo o preparo para os testes foi realizado em fluxo laminar para evitar riscos de contaminação. Para ambos, o controle positivo foi a clorexidina 0,12%; para o controle negativo foi usado cloreto de sódio (NaCl) 0,9%. Nos primeiros testes realizados o DMSO foi utilizado como um grupo para controle de solvente. Os resultados obtidos em ambos os testes para os três grupos bacterianos foram negativos para os extratos utilizados, enquanto que o disco com o controle positivo obteve resultados positivos como esperado. Os testes foram repetidos para comprovar a reprodutibilidade de resultados. Em conclusão, esses resultados sugerem que a A. esperanzae Kuntze não apresentou efeito antibacteriano quando testada contra os microrgasnismos bucais aqui selecionados.
Abstract: Aristolochia esperanzae Kuntze (Aristolochiaceae) is a plant of Brazilian flora little studied in the dental area but used in Indian integrative therapies to treat rheumatoid arthritis, menstrual symptoms and even weight loss. The aim of this in vitro study was to evaluate the antibacterial activity of this plant on specific oral microorganisms and their minimum inhibitory concentration. The microorganisms selected for the tests were Streptococcus mutans, Porphyromonas gingivalis and Enterococcus faecalis, which are the main bacteria linked to oral caries, periodontal disease and endodontic infection respectively. Plant material was collected on private property in the region of Curitiba, PR, Brazil. Harvesting was performed on three individuals at random from both leaves and stem. After collection the material was selected and separated for mechanical maceration. The essential oil (EO) and hydrolate, aqueous extracts of A. esperanzae, were obtained by cycles in the Clevenger hydrodistillation apparatus and subsequently frozen until testing. The EO was diluted with dimethyl sulfoxide (DMSO. The tests performed were: diffusion on agar with isolated bacteria and minimum inhibitory concentration (MIC). The agar diffusion was performed by CLSI disc-diffusion technique. All test preparation was performed in laminar flow to avoid risks of contamination. For both, the positive control was 0.12% chlorhexidine; for negative control 0,9% sodium chloride (NaCl) was used. In the first tests performed DMSO was used as a solvent control group. The results obtained in both tests for the three bacterial groups were negative for the extracts used, while the disk with the positive control obtained positive results as expected. The tests were repeated to prove reproducibility of results. In conclusion, these results suggest that A. esperanzae Kuntze had no antibacterial effect when tested against the oral microorganisms selected here.
Palavras-chave: Odontologia
Aristolochia
Plantas medicinais
Antibacterianos
CNPq: CNPQ::CIENCIAS DA SAUDE::ODONTOLOGIA
Idioma: por
País: Brasil
Editor: Universidade Positivo
Sigla da Instituição: UP
Departamento: Pós-Graduação
Programa: Programa de Pós-Graduação em Odontologia Clínica
Tipo de Acesso: Acesso Aberto
URI: https://repositorio.cruzeirodosul.edu.br/handle/123456789/2107
Data do documento: 2019
Aparece nas coleções:Programa de Pós-Graduação em Odontologia Clínica

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Carlos Roberto Botelho Filho.pdfDissertação851.83 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.