Repositório Institucional UNIFRAN Dissertações Mestrado em Promoção de Saúde
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.cruzeirodosul.edu.br/jspui/handle/123456789/583
Tipo: Dissertação
Título: Fatores ambientais associados à epidemiologia da hantavirose em Minas Gerais no período de 2002 a 2009
Título(s) alternativo(s): Environmental factors associeted with the epidemiology of hantaviruses in Minas Gerais in the period from 2002 to 2009
Autor(es): Oliveira, Lilia Beatriz
Primeiro Orientador: Andrade, Mônica de
metadata.dc.contributor.referee1: Cordeiro, Maria Rita Donalísio
metadata.dc.contributor.referee2: Zaia, José Eduardo
Resumo: Mudanças ambientais e demográficas podem ser consideradas como as causas que mais favorecem o surgimento de novas doenças. As mudanças no uso da terra para fins agrícolas implicam no compartilhamento de espaço com vetores e reservatórios, propiciando a emergência e reemergência de doenças infecciosas. A hantavirose foi notificada, no Brasil, pela primeira vez em 1993 e, em Minas Gerais, em 1998. A hantavirose, zoonose emergente de distribuição mundial, tem sua transmissão relacionada ao íntimo contato com partículas virais eliminadas nas fezes e urina de roedores. O objetivo do estudo foi traçar o perfil epidemiológico, analisar a distribuição espacial e temporal da hantavirose, assim como verificar a correlação entre o uso do solo, fatores climáticos, demográficos e epidemiológicos em Minas Gerais, utilizando-se dos casos notificados e confirmados pelo SINAN (Sistema de Informação de Agravo de Notificação), no período de 2002 a 2009. Os resultados evidenciaram que Minas Gerais apresentou 209 casos de hantavirose, sendo o maior número de casos em 2005. A incidência variou de 7,63 a 20,79/10 milhões de habitantes. Os casos concentraram-se nas macrorregiões do Triângulo Mineiro e Alto Paranaíba. A taxa de letalidade variou de 20% a 52%. Homens, da raça branca, na faixa etária de 21 a 40 anos, com 4 a 7 anos, de estudo foram os mais acometidos. A maioria dos casos teve a transmissão identificada em área rural e durante as atividades ocupacionais. Este estudo confirmou a existência de um padrão sazonal da hantavirose em Minas Gerais, sendo incidente nos meses mais secos do ano. Os casos concentraram-se em áreas de cerrado e mostraram correlação positiva forte com as culturas de feijão (Região Sul/Sudoeste) e soja no Triângulo Mineiro. Resultados obtidos, por meio do cálculo do Índice de Moran Global para as variáveis estudadas, expressaram a existência de correlação espacial positiva para a hantavirose em Minas Gerais. Conclui-se que o controle da hantavirose exige um diagnóstico situacional, com o envolvimento de múltiplos profissionais, visando ao estabelecimento de políticas de prevenção e controle de casos, especialmente relacionados com as ocorrências ocupacionais.
Abstract: Demographic and environmental changes may be considered the main causes that favor the emergence of new diseases. Changes in land use for agriculture imply sharing space with vectors and reservoirs, allowing the emergence and reemergence of infectious diseases. Hantaviruses was first recognized in Brazil in 1993 and, in Minas Gerais in 1998. Hantaviruses, emerging zoonosis of worldwide distribution, has its transmission related to close contact with viral particles are shed in feces and urine of rodents. The aim of the study was to determine the epidemiological profile, analyze the spatial and temporal distribution of Hantavirus as well as verify the correlation between land use, climatic factors, demographic and epidemiological in Minas Gerais, using the database of cases of hantaviruses by the Information System for Notification Diseases by Ministry of Health in the period from 2002 to 2009. A total of 209 cases were assessed, the largest number of cases in 2005. The incidence ranged from 7.63 to 20.79 / 10 million. The cases were concentrated in geographical regions of Triângulo Mineiro and Alto Paranaíba. The case fatality rate ranged from 20% to 52%. Men, caucasians, aged 21-40 years with 4-7 years of education were the most affected. The majority of cases occurred in rural areas and during occupational activities. This study confirmed the existence of a seasonal pattern of hantavirus in Minas Gerais being incident in drier months of the year. The cases were concentrated in areas of cerrado (savannah) and showed strong positive correlation with beans’ crops (South / Southwest) and soybeans in Triângulo Mineiro. Results obtained by calculating the global Moran index for the studied variables, expressed the existence of positive spatial correlation for hantaviruses in Minas Gerais. We conclude that control of hantaviruses requires a situational diagnosis with the involvement of multiple professionals aiming to establish policies to prevent and control cases, especially related to occupational occurrences.
Palavras-chave: Hantavirose
Doenças emergentes
Ecoepidemiologia
Minas Gerais
CNPq: CNPQ::CIENCIAS DA SAUDE::SAUDE COLETIVA::SAUDE PUBLICA
Idioma: por
País: Brasil
Editor: Universidade de Franca
Sigla da Instituição: UNIFRAN
Departamento: Pós-Graduação
Programa: Programa de Mestrado em Promoção de Saúde
Citação: OLIVEIRA, Lília Beatriz. Fatores ambientais associados à epidemiologia da hantavirose em Minas Gerais no período de 2002 a 2009. Franca, 2012. 80 f. Dissertação (Mestrado em Promoção de Saúde) - Universidade de Franca. 2012.
Tipo de Acesso: Acesso Aberto
URI: https://repositorio.cruzeirodosul.edu.br/handle/123456789/583
Data do documento: 13-Dez-2012
Aparece nas coleções:Mestrado em Promoção de Saúde

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Lilia Beatriz Oliveira.pdf2.57 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.