Repositório Institucional UNIFRAN Dissertações Mestrado em Promoção de Saúde
Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.cruzeirodosul.edu.br/jspui/handle/123456789/609
Tipo: Dissertação
Título: Ecoepidemiologia da febre maculosa em Minas Gerais, Brasil
Título(s) alternativo(s): Ecoepidemiology of Brazilian spotted fever in Minas Gerais, Brazil
Autor(es): Castro, Douglas Pereira
Primeiro Orientador: Andrade, Mônica de
metadata.dc.contributor.referee1: Zaia, José Eduardo
metadata.dc.contributor.referee2: Ferraudo, Antonio Sergio
Resumo: Introdução: As alterações nos padrões epidemiológicos e a consequente expansão das doenças infecciosas podem estar relacionadas às mudanças ambientais e às variações da sazonalidade climática, que influenciam a distribuição de patógenos, vetores e reservatórios. A Febre Maculosa Brasileira (FMB), tem como agente etiológico a Rickettsia ricketsii, os vetores são os carrapatos do gênero Amblyomma sp e os hospedeiros são mamíferos, como as capivaras, eqüinos e antas. Os humanos adquirem a doença ao serem picados por carrapatos infectados. Objetivos: analisar a distribuição espacial e temporal dos casos de FMB no Estado de Minas Gerais (MG), utilizando-se dos casos notificados e confirmados pelo SINAN (Sistema de Informação de Agravo de Notificação), no período de janeiro 2001 a julho de 2010. Resultados: no período, foram notificados 127 casos em 38 municípios de MG, sendo a maior taxa de incidência em Frei Gaspar (34:100.000) e os municípios com maior número de casos foram Belo Horizonte (26) e Juiz de Fora (17). A região que apresentou o maior número de casos foi a região Metropolitana de Belo Horizonte, seguida pela região do Vale do Rio Doce e a Zona da Mata. De acordo com a frequência acumulada entre 2001 a julho de 2010, os casos se concentraram entre os meses de maio e novembro, com a maior incidência ocorrendo no mês de agosto. A região Metropolitana de Belo Horizonte apresenta uma alta densidade demográfica, fator que pode estar relacionado aos casos de Febre Maculosa Brasileira; já nas regiões do Vale do Rio Doce e da Zona da Mata, que apresentam o bioma Mata Atlântica, os casos podem estar relacionados ao cenário atual de tal bioma no território mineiro, uma vez que nos últimos três anos, Minas Gerais apresentou a maior perda do Brasil em território original de Mata Atlântica. É possível que a maior incidência em meses específicos esteja relacionada ao ciclo de vida do principal vetor dessa doença, o A. cajennense, que tem preferências por habitats modificados e suas fases mais infectantes (larva e ninfa) aumentam nos períodos mais secos do ano. Conclusão: os diferentes tipos de clima e vegetação do Estado de Minas Gerais podem interferir na distribuição e expansão da FMB, já que influencia no ciclo de vida do vetor. Estudos mais aprofundados são necessários para estabelecer o papel das estiagens prolongadas ou do excesso de precipitação na transmissão da doença.
Abstract: Introduction: Changes in epidemiological patterns and the consequent expansion of infectious diseases may be related to changes to environmental and seasonal variations in climate that influence the distribution of pathogens, vectors and reservoirs. Brazilian Spotted Fever (BSF) has as etiologic agent Rickettsia ricketsii, vectors are ticks of the Amblyomma and hosts are mammals such as capybara, echinus and tapirs. Humans acquire the disease by being bitten by infected ticks. Objectives: To analyze the spatial and temporal distribution of cases of BSF in the state of Minas Gerais (MG), using the reported and confirmed case by SINAN (Information System Notification of an appeal), from January 2001 to July 2010. Results: In the period 127 cases were reported in 38 municipalities of Minas Gerais, with the highest prevalence rate in Frei Gaspar (34:100.000) and municipalities with the highest number of cases were Belo Horizonte (26) and Juiz de Fora (17). The analysis by region revealed that the Belo Horizonte Metropolitan Region presented the highest number of cases of BSF, followed the region of Vale do Rio Doce and Zona da Mata. There was an increased number of cases in the months from May to November, highlighting the month of August. In 2008, there was an increased number of cases in relation to previous years. It is possible that the higher prevalence in certain months is related to the life cycle of the main vector of this disease A. cajennense, which has modified habitat preferences and their more infective stages (larva and nymph) increase in the driest periods of the year. Conclusion: The different types of climate and vegetation of the State of Minas Gerais may interfere with the distribution and expansion of the BFS, as it influences the life cycle of the vector. Further studies are needed to establish the role of prolonged droughts or excessive rainfall in disease transmission.
Palavras-chave: Febre maculosa brasileira
Ecoepidemiologia
Minas Gerais
CNPq: CNPQ::CIENCIAS DA SAUDE::SAUDE COLETIVA::SAUDE PUBLICA
Idioma: por
País: Brasil
Editor: Universidade de Franca
Sigla da Instituição: UNIFRAN
Departamento: Pós-Graduação
Programa: Programa de Mestrado em Promoção de Saúde
Citação: CASTRO, Douglas Pereira. Ecoepidemiologia da febre maculosa em Minas Gerais, Brasil. Franca, 2012. 62 f. Dissertação (Mestrado em Promoção de Saúde) - Universidade de Franca. 2012.
Tipo de Acesso: Acesso Aberto
URI: https://repositorio.cruzeirodosul.edu.br/handle/123456789/609
Data do documento: 14-Mai-2012
Aparece nas coleções:Mestrado em Promoção de Saúde

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Douglas Pereira Castro.pdf1.6 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.